quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

CHUCRUTZ - para os alemães
KAPUSTA - para os lituanos
1 repolho grande
sementes de kummel
folhas de louro
sal a gosto
Fatie o repolho numa tigela grande, salgue a gosto, coloque as sementes de kummel e vá apertando bastante, até conseguir que ele murche e se encha de água.
Coloque umas folhas de louro e misture.
Passe o repolho para um vidro grande e deixe um espaço de mais ou menos 4 dedos sem encher, pois durante o azedamento a água vai subir. Se for preciso, coloque em dois vidros.
Encha um copo com água, coloque dentro do vidro para ir socando durante 8 dias mais ou menos, e deixe o copo sempre socado, pois a água deverá sempre estar acima do repolho, senão ele estraga (Use um copo compridão, para que não submerja dentro do vidro).
Cubra com um pano para não atrair insetos.
Decorridos os 8 dias, você vai então preparar um refogado com bastante cebola e alho, deixe moreninho e então misture o repolho e 2 tomates cortados em cubinhos.
Mexe durante todo o processo de cozimento. A água irá secar, e o repolho estará pronto.
Em separado, cozinhe na água uma boa quantidade de linguiça que você preferir, deixe secar a água atéque a linguiça dê uma grudadinha no fundo e então coloque um pouco de água para formar um caldinho escuro.
Fatie e sirva junto com o repolho.
Gosto também de cozinhar algumas salsichas.
É de dar água na boca menina.
Você vai amar. Dá trabalho, mas vale a pena.
Amei
Comentar

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nunca eu te disse que seria tão bom
É que arrebatado por ti me deixaste
Trouxeste magia pra mim, sedutora
Tocaste-me tanto que te dei meu melhor
Esse muito que havia em mim
Que era pra ti, muito certo eu estou
Só não fui o herói, teu mutante amante
Com forças de super e especiais dentre os seres
Apenas fui homem, querente, mas bem vulnerável
Mas teu, no que muito me honro e carrego pra sempre
(EB) O POETA DAS ROSAS

domingo, 20 de novembro de 2016


Salve a negritude do nosso país Dos cinco elementos em tais sincretismos As tradições, as culturas e ritos De toda a mãe Africa, de tudo madrinha Salve a beleza que ao mundo povoa Dos nossos irmãos e irmãs naturais Na interação com todas as raças Salve o poder dessa cor que é demais (EB) O POETA DAS ROSAS

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

ALDRAVIAS

SERENA
NOITADA
CERVEJA
GELADA
GARGANTA
PROFUNDA  DC
                                                                                           
HOMEM                                         
QUE                                                             
CHEGA                                             
RELATA
FATO
FATAL..... DC


ESPIRAIS
DE
FUMAÇA
CIGARRO
COSPE
SARRO....DC


CORPO
BAILARINO
NA
DANÇA
RODO
PIA...   DC

MULHER
INTENÇÃO
DE
SER
QUALQUER
TENTAÇÃO....DC

ADORO
VIDA
LOUCA
UNIVERSO
DE
VERSO...  DC

terça-feira, 15 de novembro de 2016




Oferta imperdível para presentear no Natal...
Meu livro "ESCRITO COM BATOM" terá um 
desconto de R$ 10,00 aos 100 primeiros
leitores. De R$ 35,00 por apenas R$ 25,00.
Os interessados deverão fazer o depósito na 
conta da Caixa Econômica Federal de numero
0340 013 0004595-5 (Dorothy de Castro)
Após isso apresentar o comprovante do depósito
no meu INBOX. Informar nome e endereço
 completo  com Cep.
Caso queira dedicatória no livro, anotar nome
para quem deverá ser feita. Boa leitura dos
meus poemas à todos! Beijos!

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

ALDRAVIAS!

poesia
em
liberdade
poema
livre
aldravia
Carnaval
seus
prazeres
canais
dão
poesia
Solicitude

lícita
se
verdadeira
atitude
sonhar

no
mar
salga
ideia
palavra
arma
eficaz
para
fazer
paz
poesia
une
versos
universos
em
poesia
Elegante
cavalheiro
doma
cavalgadura
da
dama
Pierrô
arlequim
colombina
amor
em
trilogia
religião
invento
humano
para
regrar
vida
sopro
de
amor
nos

vida

Aldravias de Messody Ramiro Benoliel (Rio de Janeiro - RJ)
Aldravias
Após
nossos
corpos
entrelaçados
anoiteceu
silenciosamente
Inveja
maltrata
enruguece
somente
invejosos
contumazes
dúvidas
estremecem
relacionamentos
quando
permanecem
presentes
Saudade
bandoleira
sem
ontem
hoje
amanhã
Mãozinhas
dadas
antigamente
agora
solidão
somente
amor
vem
amor
vai
gangorra
constante
chuvas
gostosas
lembranças
tuas
minhas
nossas
Ressentimentos
incertezas
perturbam
machucam
se
entrelaçam
Voz
que
acalma
vem
da
alma
Olhares
profundos
instigam
vontades
desejos
festejos

domingo, 2 de outubro de 2016


DE MINHA MUSA
Sou amigo
Seu amante
Atencioso
Vigoroso
Bem querente
Assim carente
Resistindo
Superando
Todo o dia
Eu compondo
Sendo homem
E o poeta
Demonstrando
Não estar frio
Só dizendo
Vivo em Branca
(EB) O POETA DAS ROSAS

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

COISAS DE MALENA

"





O que terá ela à te oferecer senão a paixão apreendida na vida
calçada de abusos, de uso imoral?
De mal, de tormento, e de sofrimento? O que terá ela? Só pode saber, se pagar pra ver!" (Malena)








terça-feira, 27 de setembro de 2016

LEVEZA







LEVEZA
"Vida leve me leve embora daqui,
Pra nunca, pra sempre, pra longe...
Pra aquela nuvem de algodão doce,
Pra aqueles braços de abraçar sincero...

Vida leve o céu não tem, que céu é esse?
Que paraíso, que ora me apontam?
Que estranho é o homem, de que tamanho,
São as mentiras são as vontades só que não..
.
Vida leve, me leve, me arraste, eu quero,
Achar o amor,sem dor sem atropelos...
Eu quero, a vida mais leve, mais leve ainda,
Como se eu pudesse descer daqui de mim!"
(Dorothy Castro)

domingo, 25 de setembro de 2016



ATRIBUTOS
Mírian Warttusch
Se o perfume e a beleza,
São atributos de flor, 
Você mulher formosura,
deixa seus rastros de amor.
Quando passas, tão suave,
És diva do meu carinho.
Reverenciam-te as flores,
Que margeiam o caminho.
Não sei se sentem ciúme
Ou mesmo se por paixão,
As flores se despetalam
Formam um tapete no chão.
Passando, tu vais ligeira,
E se te abraçam as flores,
É pra que eu sinta ciúme,
E te tenha mais amores.
Mas na hora em que te abraço,
Nem as flores vão nos ver.
Vou te esconder do mundo,
Vais ser minha, podes crer.
Mírian Warttusch

domingo, 18 de setembro de 2016




Penso em Branca, meu sonho profundo
Por tudo que muito ainda suplico
Minha adorada, sempre minha musa
Na luz do luar só vestida de mim
Penso em Branca, me sinto em delírio
Que sonho de amar, viver seus carinhos
Fazendo-a chorar de muito prazer
Cuidando bem dela, meu sonho de amor
(EB) O POETA DAS ROSAS
Belas palavras do Pedro Bial...
Sobre a morte do Ator Domingos Montagner...

"A morte, por si só, é uma piada pronta.
Morrer é ridículo.
Você combinou de jantar com a namorada,
está em pleno tratamento dentário, tem planos pra semana que vem,
precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no
carro e no meio da tarde morre. Como assim?
E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente?
Não sei de onde tiraram esta idéia:
MORRER!!!
A troco? Você passou mais de 10 anos da sua vida dentro de um colégio
estudando fórmulas químicas que não serviriam pra nada, mas se manteve
lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física,
quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. Passou madrugadas sem dormir para
estudar pro vestibular mesmo sem ter certeza do que gostaria de fazer
da vida, cheio de dúvidas quanto à profissão escolhida, mas era hora
de decidir, então decidiu, e mais uma vez foi em frente...
De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway,
numa artéria entupida, num disparo feito por um delinqüente que gostou do seu tênis. (Ou afogado)
Qual é?
Morrer é um chiste.
Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém,
sem ter dançado com a garota mais linda,
sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida.
Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e
penduradas também algumas contas.
Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas,
a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira.
Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu.
Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce,
caminha por uma rua e talvez não chegue na próxima esquina,
começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer.
Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte
costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã.
Isso é para ser levado a sério? Tendo mais de cem anos de idade, vá lá, o
sono eterno pode ser bem-vindo. Já não há mesmo muito a fazer, o corpo não
acompanha a mente, e a mente também já rateia, sem falar que há quase
nada guardado nas gavetas.
Ok, hora de descansar em paz.
Mas antes de viver tudo? Morrer cedo é uma transgressão,
desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero.
E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. Só que esta não tem graça.
Por isso viva tudo que há para viver.
Não se apegue as coisas pequenas e inúteis da Vida... Perdoe... Sempre!!!"
Deixe espalhado pelo caminho da sua vida amor, quanto mais lágrimas rolarem quando vc se for, mais certeza o mundo terá que o tempo que vc passou aqui valeu a pena!
Pedro Bial

sábado, 17 de setembro de 2016






Insano...

... Não tenho a medida exata dos fatos, dos atos e desacatos, nem mesmo a dimensão da dor. Uma insanidade acima de tudo, de nada, de planos, de danos. Não tenho a sensação do tempo passando, mas envelhecendo, roendo a carne, rasgando a embalagem, essa, que carrego sobre meus ossos e músculos, enquanto as imagens vão desaparecendo diante dos meus olhos, como se escondessem algo que eu soubesse... Os pássaros vão se distanciando, ouço cantarem bem ao norte, enquanto o perfume das rosas tentam atrair meu olfato, fraco e desencontrado, assim como esse meu corpo envelhecido e inóspito de onde procuro fugir... E a minha voz, ainda me lembro da suavidade no pronunciamento de cada palavra em versos, de cada canção desafinada, de cada grito insano... Insanas também são minhas mãos, que insistem, já um tanto trêmulas, a rabiscar imagens, a tocar o infinito, tapar da boca o grito, enquanto os calos estouram bolhas de sabão, grossas e rudes. Já me sinto fora dessa cadeia de “humanos”, hoje sou de uma classe em que me chamam insano...

Marco A. Alvarenga
 —

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

VESTIDA DE MIM






Penso em Branca, meu sonho profundo
Por tudo que muito ainda suplico
Minha adorada, sempre minha musa
Na luz do luar só vestida de mim
Penso em Branca, me sinto em delírio
Que sonho de amar, viver seus carinhos
Fazendo-a chorar de muito prazer
Cuidando bem dela, meu sonho de amor
(EB) O POETA DAS ROSAS

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

receita

sábado, 20 de agosto de 2016

https://youtu.be/i3vsiiRK5GU?t=103
Garua

Tango - Versão

Aníbal Troilo / Cadicamo - L. Marques

* * * * * * * * * * *

A noite morna é um vazio, tão frio,

O vento arrasta um estranho, lamento,

Parece um poço de sombra, a noite,

E eu na sombra caminho, tão lento,

Entretanto, a garoa, se amontoa,

Amaldiçoa o meu coração,

E nesta noite tão fria, vazia,

A mesma antiga saudade, me invade,

E por mais que queira odia-la,

Deseja-la e olvida-la eu a quero mais,

Garoa, ando triste pela rua,

Levo o coração ferido,

Soluçando inconformado,

Sofrendo, vendo, o anseio mais querido,

De repente destroçado,

Perdido, sou um fantasma pelas sombras,

E outra sombra procurando,

Garoa, tristeza,

Só me resta sofrer e chorar !

A noite é um charco de tédio e de frio,

Ninguém se arrisca a passar pela esquina,

Na rua escura vagando com o vento,

Só mesmo a chuva, tão fria e tão fina,

E a minh'alma que é um destroço,

Que eu carrego como posso,

Esperando o fim,

As gotas caem num charco, em minh'alma,

Na solidão se afogando, sem calma,

E aumentando o meu tormento,

Cai a chuva, sopra o vento,

Já não posso mais !...
C

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Sonhei que a fitava, contemplava, era linda. Percorriam os meus olhos suas formas desnudas, qual do pintor era a tela passada por mim. E olhando tocavam sua pele o amor e o ardor. Um sagrado preparo eu vivia pra, então, retrata-la, em meu leito com fibra de homem e amor de poeta.
(EB) O POETA DAS ROSAS


























































sábado, 13 de agosto de 2016




"Quero agradecer a Deus por ter me dado uma irmã maravilhosa, ontem ajudei em tudo q pude ensinei,cuidei, brinquei,hj tenho q agradecer muito ela,por mais q seja mais nova q eu,hj me ensina, cuida e curti muito comigo, ela nõo sabe o quanto que ela é importante pra mim,quero que todos voces saibam que amo incondicionalmente essa mulher maravilhosa que é Bibiana Alvarenga te amo sempre até o fim da minha vida!" (Carol)

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

DIÁLOGO
A MUSA- E se me deixas?
O POETA- Eu me deixo
A MUSA- Não gostarias..?
O POETA- Não e sabes
A MUSA- O que te move?
O POETA- São lembranças de nós dois
A MUSA- E o vulto da incerteza?
O POETA- Não é pário para o amor
A MUSA- Está difícil, amado, eu sei
Por isso, peço, sê feliz!
O POETA- Dizer-te devo, minha querida
Que inda há vida neste enlevo
Tá certo, és falta a toda a vida
Mas só contigo ela seria
Meu encanto intransferível
Não muda assim, conforme o vento
E mesmo que nós dois sigamos
Rumo a cruel desenlaçar
Ainda assim minha serás
Pois, sempre é teu meu bem querer
A MUSA- Te amo e sempre te amarei
A bem saber que só me queres
(EB) O POETA DAS ROSAS

terça-feira, 31 de maio de 2016

do amigo Evandro!

No derramar da lágrima sentida
Pelo gozo feminino e comovente
Fico a observar-te, ó, flor bonita
Que mulher amada és tu, querida!
Desfalecida, entregue ao meu cuidar
Rendida, conduzida até ao meu lado
Na cama, o nosso mundo, a maravilha
Para emocionados nos curtirmos
Paisagem mais que linda essa tua
Tu assim, menina nos meus braços
Após nos mesmos braços me exerceres
Te exercitando em mim, a amazona audível
A hora em que vivemos e no Éden mesmo
Sem desse mundo darmos consciência
Eu te levando á fonte de prazer vertente
Pra te amparar já calma em refratário bem
CELESTIAIS MOMENTOS
(EB) O POETA DAS ROSAS

terça-feira, 24 de maio de 2016





DiALOGO POÉTICO
Eu- Que olhar é esse que me captura?
Que me encanta ao máximo divinamente?
Branca- É o teu grande amor a me deixar assim
Por me fazer tão bem, por me fazer sorrir
Eu- Talvez correta estejas, minha amada musa
Só sei que vejo a fonte de alegrias sagradas
Estando a contemplar-te me elevando ao céu
Por me amares muito, por te amar assim
Te adorando em moldes de um consorte honrado
Branca- Quanto a mim pergunto, que amante és tu?
Moldado para mim, pra me fazer mulher?
Eu- Respondo-te querida, sou teu adorador
Tão fácil saciar-te tal curiosidade!
Sou o afeito homem, para ti enviado
Pra te dar carícias que na magia existem
Co'a missão devida que ninguém me tira
Ser preenchido contigo em mais gostoso ter-te
E, sem mais perguntas, me encantar contigo
Pois, tu és tudo aquilo que na vida vale
Branca- Se é pra tanto a causa de comigo estares
Digo que mais nada além de amar-te quero
Que sou tua, inteira, porque és meu também
No responder do corpo e no sorrir da alma
Eu- Porque estamos juntos e também colados
Qual siameses amantes que se necessitam
Nós- Porque o amor existe, triste ou não, resiste
Se perpetuando no horizonte árduo
(EB) O POETA DAS ROSAS

terça-feira, 17 de maio de 2016

CANTO DA CIRANDA


E faço-te saber a quanto anda
meu modo de cantar nessa ciranda
de cima à baixo e de baixo à cima
propagação do verso numa rima...

No vento cuja boca assopra agora
numa questão de apenas uma hora
o camelô que grita e num  zum zum
faz propaganda e dá  cinco por um...

A poesia é grata quando é lida
e segue bem cantada pela vida
de baixo à cima e de cima à baixo...

Me dê a mão nessa ciranda linda
poética demais agora vinda
para dizer que nela eu me encaixo!


Dorothy de Castro



sexta-feira, 15 de abril de 2016

do evandro

LAMENTO (COMO QUERIA!)
Queria estar contigo nesta hora exata
Pra receber teus beijos minha boca aflita
Me abrigar contigo te acariciando
E afagar teus lábios com meus dedos todos
Satisfazer-me inteiro tua saliva ardente
Apunhalando de vez essa distância vil
Que assassina estilos que a vida molda
Fazendo que tu partas e já não beijemos
Queria estar contigo e te fazer feliz
Mil ósculos te dando e te devorar
Pra nunca mais teu gosto se ausentar da boca
Que a tua deixa inchada de beijarmos tanto
Dos meus guardados de querença (2014)
(EB) O POETA DAS ROSAS

sexta-feira, 25 de março de 2016

CONSIDERAÇÕES

(Atores em Cena de Harry Potter)

Todos representamos o tempo todo...vejamps por exemplo o Poeta, que ao escrever usa sua emoção para chegar aos seus leitores...Também trabalha a sua mente para procurar dentro de si, instrumentos que o deixe forte o bastante
no encontro de equilíbrio, para que não caiam as estruturas de sua construção.
                           Fazer poesia é o mesmo que criar personagens e dar vida
à esses personagens fazendo-os vivos e presentes em suas histórias. Assim é
a arte de representar... Apenas muda a construção em seu modo de fazer arte.
O que seria das nossas mãos se não pudéssemos usá-las para dar formas às 
coisas em que acreditamos? Nada! Porque tudo está dentro de cada um e 
precisamos externar o que sentimos... Assim a arte de representar ocupa todo
o espaço do nosso corpo e num passe de mágica nos transforma em outras personagens (as mais diversas) que gostaríamos de ser e vivenciar, outro tipo de pessoa. Fazer arte é poético ao extremo! 


(Dorothy de Castro)

domingo, 13 de março de 2016

EM ORAÇÃO


EM ORAÇÃO
Suporta meu Deus os erros que cometo
Elimina de mim qualquer tormento
Que eu possa carrega r o sofrimento
Empunha tua lança e me proteja...
Faça de mim Senhor a tua igreja
Angélicos me sondem à teu pedido
Se maculada eu for perdão te peço
que sejam por amor os meus tropeços...
Mande tuas falanges em meu socorro
que as portas do teu reino se escancare
e ampare este meu corpo quando morro...
Que a minha salvação não tarde à vir
enquanto a minha fé não dissipada
revele ao mundo oh Deus! Teu existir!
Dorothy de Castro


sábado, 20 de fevereiro de 2016














"Ai de quem é feliz...Até mesmo as mãos que seguram as nossas são invejadas...Até a solidão que nos faz companhia é indagada... Até a vida que ainda nos resta é questionada... Ai de mim, de ti, de nós!" (DC)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O PROVADOR DE VINHO



Agora volto ao cálice vazio
que um dia entornaste com
teu vinho, bebericando o puro
e doce ardor docinho...

E novamente vais te embriagar
em sua boca as uvas muito doces
te mostrarão o mel como se fosses
do vinho o provador à me tomar...

E que direi dos beijos esmagados
que a minha boca há de dar na tua?
talvez eu venha à te inspirar cuidados
quem sabe causarei inveja à lua?

Envelheci eu sei nos anos idos
mas inda trago brilho em meu olhar
e no decote ousado do vestido
te peço,: beba o vinho à derramar!


Dorothy de Catro

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

CARTA DE AMOR (primeira)


Amor inesquecível...
Hoje a saudade está muito complicada, está enorme... Mas como eu sou uma mulher  de grande poder, eu resisto. Andando pelas ruas eu pensava em você, no que estaria fazendo
à essa hora, que roupa estaria vestindo e se estivesse almoçando o que estaria comendo e ainda, será que estaria pensando em mim? Mania que mulher tem de querer adivinhar os pensamentos do seu homem... Mas que se dane, amor é assim mesmo que pinta dentro da gente, a gente quer tudo até os pensamentos... Então procure entender meu amor, a minha curiosidade é mais que isso, é tudo isso e mais um pouco. Ah sabe, aquele poema que pensamos em escrever juntos no ano passado? Hoje seria ainda mais bonito se o escrevesse, teria mais rimas delicadas, falaria mais de paixão de sentimentos loucos, acho que seria algo assim proibido (risos)  Amor, preciso te confessar uma coisa que me passou pela cabeça hoje: Irmos até uma praça e brincar de você me cantar do jeito bem safado passando perto de mim... quem sabe até me oferecendo dinheiro como se eu fosse uma mulher dama, e eu aceitaria e a gente procuraria um hotelzinho daqueles bem baratos e entraríamos nele
para fazer amor... Já pensou amado? Consegue imaginar isso? Ah, bobagens da minha cabeça louca, coisas que inspiram essa saudade danada que estou sentindo hoje de você! 

Beijos ardentes da sua Bruxinha!


Dorothy de Castro
 
Amor não tem idade. Design by Exotic Mommie. Illustraion By DaPino